Menu

vivendodebemcomavida.com.br

Distúrbios do sono afetam homens e mulheres de formas diferentes

De acordo com um estudo recente feito pela Universidade de Queensland, os distúrbios de sono afetam os sexos de maneiras bem distintas. Em relação as mulheres, a análise avaliou mais de 700 pacientes, e constatou que elas demonstram sintomas mais graves de insônia e sonolência ao longo do dia.

Um dos pesquisadores desse estudo, John Malouf, destacou que as mulheres são mais afetadas pela falta de sono. Como consequência, o cansaço originado pelos distúrbios causam uma dificuldade muito maior de concentração e até mesmo problemas na capacidade de memorização, entre outros problemas.

Nos homens, um dos tópicos analisados foi o ronco masculino, o qual é um problema sério para muitos casais. Entre as principais causas do ronco, está a apneia obstrutiva do sono, uma condição que pode estar relacionada a riscos maiores do paciente ter um infarto e outras doenças cardiovasculares.

Mesmo com o fato dos pacientes analisados terem idades similares, os sintomas distintos que foram percebidos entre os sexos surpreenderam os pesquisadores. Segundo uma das líderes do estudo, Allegra Boccabella, essa constatação é muito importante para demonstrar aos médicos que é preciso tratar os pacientes com distúrbios de sono de forma diferenciada, entre homens e mulheres.

Entre as razões fisiológicas conhecidas nos dias de hoje pelos médicos para explicar essas diferenças, está o fato dos homens possuírem um estreitamento natural da via aérea superior, o que aumenta a propensão do desenvolvimento do ronco.

No caso das mulheres, as diferenças tem como fonte o ciclo menstrual. De acordo com os especialistas, as alterações hormonais causadas longo do mês pela menstruação pode resultar em diversas perturbações. Com isso, as mulheres apresentam mais dificuldade para dormir e manter o sono, além de lidar com a interrupção precoce do mesmo.

A consulta com um especialista é altamente recomendável para o tratamento dessas condições, contudo, existem também medidas simples que podem melhorar o descanso dos pacientes. Entre elas, é fundamental ir dormir e acordar sempre no mesmo horário, pois o organismo não se adapta facilmente às oscilações de tempo. Além disso, também é  importante evitar o café e outras bebidas energéticas depois das 18:00.