Menu

vivendodebemcomavida.com.br

Pesquisadores revelam que óleo de cozinha influencia diretamente na obesidade

oleo

 

Muitas pessoas não sabem, mas um dos maiores vilões da obesidade, de acordo com os especialistas, é o óleo de cozinha. Usado em abundância pelo fato de ser barato e fácil de encontrar nas lojas e supermercados, ele tem sido utilizado sem restrições pelas pessoas, servindo tanto para o preparo de tempero para a salada até para as frituras.

Estima-se que óleo vegetal esteja entre os dez produtos mais consumidos no mundo, juntamente com outros alimentos como trigo, arroz, açúcar, cevada, milho e batata, os quais fornecem mais de 85% das calorias consumidas diariamente. Com isso, é possível identificar que a alimentação das pessoas tem sido rica em calorias e pobre no que realmente importa, os nutrientes.

De acordo com o professor Benton, que atua como pesquisador da Universidade de Leeds e é especialista em segurança alimentar, a produção em escala global dos óleos vegetais cresceram muito nos últimos 30 anos em decorrência de vários acordos comerciais, os quais tornaram a sua produção mais barata e fácil de ser exportada e importada.

A principal consequência disso é o fato de que, atualmente, cerca de 50% da população mundial não está com um peso considerado saudável, segundo uma pesquisa coordenada recentemente pelo professor Benton na Universidade de Leeds. Em termos práticos, isso significa que a obesidade  mais do que dobrou  no planeta desde os anos 80.

Segundo a pesquisa, apenas nos países mais pobres ainda é mais comum encontrar pessoas abaixo do peso pelo fato de não terem meios de consumirem a quantidade necessária de calorias diárias. Já nos países ricos, até as pessoas pobres possuem dietas rica em calorias e pobres em nutrientes.

Corinna Hawkes, professora Universidade de Londres, chegou a resultados parecidos em seus anos de estudo, destacando que o considerável aumento de peso da população mundial tem como antecedente o aumento do cultivo e da exportação dos tipos de óleo.

De acordo com ela, aconteceu um repentino e forte aumento da oferta e do consumo de óleos no mercado, tanto o de soja como também o de palma, o que estaria diretamente conectado com as políticas mundiais que tornaram o seu comércio mais fácil.

Apesar de ser indicado a ingestão de uma pequena quantidade de gordura para se ter uma dieta saudável e balanceada, o que se tem visto é que as pessoas estão consumindo as mesmas em grandes quantidades, o que além de causar sobrepeso e obesidade, também está ligado ao desenvolvimento de várias doenças, incluindo as cardíacas.

A professora Hawkes destacou ainda que o baixo custo e a vasta oferta de óleo nos mercados internacionais acabou provocando inclusive alterações nos hábitos culinários de vários países, entre eles alguns dos mais populosos como a China e o Brasil.

 

 

Sergio Cortes informa sobre como evitar as dores nas costas durante a gestação

As dores nas costas são um dos incômodos frequentes durante a gravidez. Contudo, muitas gestantes não sabem, mas é possível evitá-las através de algumas atitudes simples e da mudança de alguns hábitos, reporta o ortopedista Sergio Cortes.

De acordo com os especialistas, o corpo da mulher passa por várias modificações durante a gravidez, entre elas, uma grande variação hormonal que pode provocar uma frouxidão entre os ligamentos musculares, entre eles a coluna e a bacia. Somado a isso, existe uma alteração da postura para conseguir mantê-la ereta apesar do grande peso da barriga conforme o bebê vai crescendo.

Essas questões causam mudanças diretas ao equilíbrio do corpo. Além disso, acontece uma perda do tônus do abdômen, ocasionado por uma distensão provocada pelo crescimento do útero. Isso causa uma sobrecarga na parte inferior da coluna, gerando uma série de dores, noticia Sergio Cortes.

Como evitar a dor nas costas durante a gravidez

Não é necessária nenhuma medida muito complicada para conseguir evitar as dores nas costas, sendo preciso apenas alterar alguns hábitos cotidianos conforme a gravidez for avançando, como por exemplo:

– Evitar permanecer muito tempo sentada, especialmente se não estiver com uma postura ereta, informa o ortopedista Sergio Cortes.

– Controlar o aumento de peso durante a gestação de acordo com as instruções do obstetra.

– Não dirigir por um longo período de tempo.

– Evitar carregar muito peso.

– Não subir vários lances de escadas seguidamente.

Segundo os médicos, praticar exercícios físicos de forma regular também pode ajudar bastante. É possível prevenir as dores nas costas ao realizar os exercícios físicos adequados durante a gravidez, pois assim ocorre um fortalecimento das estruturas musculares, que ajudam a manter a postura correta oferecem o condicionamento necessário para exercer com mais facilidade as funções do cotidiano com a coluna ereta, noticia Sergio Cortes.

Aa mulheres que estão passando por sua primeira gravidez geralmente são as que ficam mais preocupadas com esse tipo de dor e os possíveis riscos que elas podem causar para a sua saúde e do bebê, porém, os especialistas destacam que essas dores são perfeitamente normais e que não trazem maiores riscos para a saúde da mãe e do bebê. Contudo, essas dores podem ser um sintoma de outras enfermidades, como por exemplo, doenças na própria coluna.

É importante lembrar que não é indicado o uso de medicamentos anti-inflamatórios durante a gravidez, portanto, as gestantes não devem se automedicar sem procurar primeiramente o auxílio de um especialista que seja de confiança. Felizmente, existem várias outras firmas de aliviar as dores na coluna durante a gestação e sem colocar em risco a saúde do bebê e da mãe.

Entre as maneiras mais comuns e seguras de amenizar as dores, está a ingestão de analgésicos simples que tenham sido receitados pelo obstetra, fisioterapia, tratamentos não tradicionais como acupuntura e massagem, ou ainda as receitas caseiras que consistem na aplicação de gelo ou de uma compressa quente no local, dependendo da preferência de cada grávida, reporta o ortopedista Sergio Cortes.

Fonte

 

Estudo confirma que doença da urina preta é causada por intoxicação de peixe

Cientistas descobriram que a doença de Haff ou a doença da urina preta, como é popularmente conhecida, é causada por uma intoxicação alimentar de peixe. A doença tem como características causar fortes dores nos músculos, e deixar a urina do doente totalmente preta. Somente no começo deste ano já foram registrados 70 casos da doença de Haff na Bahia. A descoberta veio por meio de um grupo de 12 pesquisadores, que também foram responsáveis pela identificação do vírus da zika.

O estudo foi realizado com 15 pacientes que apresentavam sintomas de mialgia aguda (dores musculares), e dentre os pacientes 14 deles haviam comido peixes do tipo, Badejo (Mytcteroperca), e Olho de Boi (Seriola). No entanto, o único paciente que alegou não ter comido nenhum tipo de peixe, afirmou que havia ingerido comida baiana, que por sua vez poderia conter alguma quantidade de peixe na composição. Foram realizados diversos testes nos pacientes que anularam qualquer contaminação através de bactérias ou vírus.

Antes da descoberta, os médicos acreditavam que a epidemia do vírus da zika também era responsável pela doença de Haff. Antônio Carlos Bandeira que é infectologista e também participante do estudo disse: “Os pacientes não apresentaram nenhum tipo de sintoma, como febre, dor de garganta ou sintomas de gripe. Ainda dentro da mesma família, algumas pessoas passaram a apresentar os sintomas simultaneamente depois de horas. O que sugere que a exposição ao contagio foi em comum“. Segundo Bandeira, essas análises prévias foram as primeiras controvérsias na conclusão de que o mal da urina preta seria causado pelo vírus da zika.

Entretanto, essa confirmação da doença de Haff estar ligada a intoxicação da ingestão de peixe, já era uma suspeita em outros países. A contaminação seria ocasionada por substâncias naturais que estão presentes no organismo de todos os peixes, que são provocadas por seus hábitos alimentares aquáticos. Os pesquisadores afirmaram: “A contaminação não ocorreu por mercúrio ou por outro metal pesado“. Mesmo eles sabendo que a contaminação não acontece por nenhuma dessas substâncias tóxicas, os cientistas ainda não sabem exatamente qual substância natural dos peixes causam a doença de Haff.

Ocorreu alguns anos atrás um surto da doença da urina preta em Manaus, que mesmo naquela época, já havia sido associado a uma contaminação pelo consumo de peixe. O peixe em questão seria o Pacu Manteiga (Mylossoma). Os pesquisadores afirmam que os casos ocorridos em outros países que foram associados ao consumo de peixe, também ocorreram no verão: “O surto ocorre no mesmo período que na Bahia“.

A grande dúvida ainda é que o número de pessoas que comem peixe é muito grande, no entanto, o percentual de pessoas contaminadas é muito pequeno. Bandeira afirmou: “Os peixes são consumidos em escalas de milhões todos os dias pelos consumidores. No entanto, apenas 71 casos foram notificados dentro dos três meses“. A relação da quantidade da ingestão do animal, e a quantidade de casos diagnosticados com a doença da urina preta não parece fazer sentido para a equipe de pesquisadores, por isso eles seguem em estudo para tentar compreender se seria algum tipo de alergia a uma substância natural do peixe.

 

O crescimento das pesquisas em Neurociências

Habitualmente, a ciência tende a se tornar foco de atenção dos meios de comunicação apenas em produtos de entretenimento, como as várias produções de ficção científica evidenciam. Contudo, há momentos em que as pesquisas científicas, por se dedicarem a uma área na qual os resultados possam ser tão impactantes à toda humanidade, que essa lógica se rompe e os cientistas reais é que passam a figurar com alta popularidade na mídia. Dois exemplos claros nas últimas décadas desse fenômeno são a clonagem da ovelha Dolly e o Projeto Genoma Humano, ambos já concluídos.

Numerosos esforços que têm sido dispendidos no estudo das neurociências podem transformar essa uma área tão digna de atenção quanto foram outras grandes descobertas científicas do passado. Com duas grandes frentes, uma com centro nos Estados Unidos e outra sob comando da União Europeia, o cérebro humano tornou-se foco dos esforços de vários cientistas pelo mundo. Durante toda a história da humanidade ciência e medicina progrediram em conjunto e são projetos corajosos e inovadores que contribuem para avanços a grandes saltos nas duas áreas. É nesse sentido que esses estudos atuam atualmente e merecem observação contínua de suas descobertas.

Organizado pelos Estados Unidos, o BRAIN Initiative, acrônimo na língua inglesa para algo como Pesquisa sobre o Cérebro [humano] por meio de Neurotecnologias Inovadoras e em Avanço. O nome extenso já é um prenuncio de sua atuação: uma iniciativa que tem por objetivo desenvolver tecnologias aplicadas a neurociência e, simultaneamente, aplica-las no estudo do funcionamento cerebral. Almejando suprir uma lacuna existente no conhecimento atualmente, que é compreender como se dá a interação a nível celular no sistema neurológico, a tentativa permitirá que se entenda melhor doenças que acometem esse sistema, permitindo melhores tratamentos e prevenção.

Em outra frente, está a iniciativa da União Europeia, o Projeto Cérebro Humano (alusão muito conveniente e inspiradora ao Projeto Genoma Humano). Da mesma forma, trata-se de um conjunto de pesquisadores que buscam aumentar o grau de compreensão sobre o funcionamento cerebral. Com funcionamento baseado em parcerias pela Europa (116 atualmente), consiste em um grande compartilhamento e conhecimento e competências para contribuírem ao estudo. Contudo, é interessante ressaltar aqui um dos objetivos do programa europeu que é o de produzir tecnologias computacionais e robótica inspiradas nas descobertas em neurociências.

Assim, essas são duas iniciativas já existentes e bem prolíficas em termos de produção científica sobre o assunto. A capacidade de obter um achado capaz de revolucionar a maneira como compreendemos o cérebro humano atualmente é possível, assim como em qualquer outro centro de pesquisas inovadoras. Enquanto isso, no entanto, vários pesquisadores realizam descobertas menores, nem por isso menos importantes, capazes de serem empregadas, agora ou no futuro, para melhorias na qualidade de vida humana.

 

Saída do Reino Unido da União Europeia comentada por Flávio Maluf

A União Europeia é formada pela união política e econômica de 28 países do continente Europeu. A UE foi criada logo após a segunda guerra mundial, com a finalidade de promover a união entre os países membros vinculando-os entre si através de uma cooperação econômica. Uma das principais intenções da criação do bloco foi para tentar evitar o surgimento de conflitos entre os países europeus. A UE contribuiu em muito para a manutenção da paz e da estabilidade dos países, além de contribuir, também, para melhorar do nível de vida do povo europeu. Com esta união foi criada uma moeda única para ser usada por todos os países membros, o Euro.

Nos últimos tempos o Reino Unido tem demonstrado forte intenção de se desvincular da UE. Em junho de 2016, mediante referendo, esta intenção se concretizou e ficou decidido que eles deixariam de ser um dos membros da União Europeia.

A decisão não foi bem recebida pelo mercado financeiro e isto pôde ser sentido pela queda na bolsa de valores da Europa, queda esta que chegou ao índice de mais de 12%. A libra esterlina, moeda britânica, também sofreu um forte abalo e desvalorizou bastante. Flavio Maluf, presidente das empresas Eucatex, noticiou que, segundo especialistas, a economia global deverá sentir os efeitos da decisão tomada pelo Reino Unido, efeitos estes que deverão durar um longo tempo.

Flavio Maluf noticiou que o Reino Unido, conforme dados obtidos em 2014, contribuiu com a entidade com cerca de 11,3 bilhões de Euros e recebeu 6,9 bilhões de Euros, ou seja, contribuiu mais do que recebeu como retorno, o que gerou um aumento da inflação no país.

Conforme Paulo Figueiredo – diretor de operações da FN Capital, a saída do Reino Unido da UE lhe acarretará alguns contratempos já que haverá uma queda nos investimentos que o pais recebe e, além do mais, a interrupção do livre trânsito de produtos e pessoas entre países da UE poderá, também, gerar efeitos negativos.

É bem verdade que a saída do Reino Unido do bloco poderá afetar seus negócios comerciais com os outros países, mas, de acordo com o que noticiou Flavio Maluf, o especialista Otto Nogami acredita que algumas coisas poderão melhorar para o Reino Unido já que eles terão condições de firmar acordos bilaterais, o que antes não podia ser feito.

O Brasil não tem muitos negócios com o Reino Unido e, conforme noticiou Flavio Maluf, poderá conseguir firmar alguns acordos bilaterais com o país, porém, como o Reino Unido representa em torno de 2% das exportações anuais brasileiras, os benefícios não serão muitos.

O impacto da saída do Reino Unido da União Europeia, conforme noticiou o empresário Flavio Maluf, será grande e provocará incertezas quanto ao posicionamento dos outros países do Grupo. A Alemanha, A França e o Reino Unido são os países centrais do bloco. Considerando que a França está com problemas em sua economia e que o Reino Unido saia do bloco, ficará para a Alemanha manter economicamente a União Europeia

 

Como ser saudável nos dias de hoje

Saúde tem estado entre os tópicos mais comentados e discutidos nos dias de hoje, e os motivos são diversos, vão desde da descoberta de novas doenças e males, da invenção de novos tratamentos e técnicas, até o fato de que as pessoas estão vivendo cada vez mais, com uma expectativa de vida que cresce a cada ano, fazendo com que a saúde seja uma preocupação recorrente entre as pessoas desde jovens.

A definição de uma pessoa saudável não leva em conta apenas seu aspecto físico, mas também ela abrange o estado mental e social da pessoa, pois esses são aspectos que podem interferir muito no bem-estar de alguém, fazendo com que sua qualidade de vida seja comprometida.

Para manter a saúde em dia, a Organização Mundial da Saúde recomenda que o indivíduo faça exercícios físicos regularmente, se alimente de forma equilibrada, durma ao menos oito horas por dia, se exima de beber e de fumar, assim como outras drogas. Esse é um estilo de vida que assegura uma maior chance de prevenção de doenças.

O ambiente físico é algo muito importante a se considerar quando o assunto é qualidade de vida, pois ele interfere diretamente na saúde dos habitantes daquele meio. Fatores como ar limpo, saneamento básico, mobilidade urbana e segurança nas cidades, são vistos como cruciais para uma vivência saudável.

Isso sem contar que a ausência de água potável que atenda as populações necessitadas de todo o mundo, é a responsável por grande parte das doenças que ocorrem no planeta, e que afetam principalmente comunidades carentes.

A saúde mental é uma definição usada para descrever como está o estado de espírito de uma pessoa, emocionalmente e cognitivamente falando, além de ser um termo que serve para atestar quando uma pessoa não apresenta nenhum tipo de doença mental.

Um dos grandes desafios da humanidade atualmente e também no futuro, será o controle da obesidade, que vem atingindo níveis preocupantes em todo o mundo. E o modo de vida do homem contemporâneo, está contribuindo para que eles só aumentem, já que a pressa e a vida agitada fazem com que ele se alimente mal, na base de fast foods.

E isso é uma preocupação da maioria dos governos, que enxergam na obesidade um grande problema de saúde pública, pois ela restringe muito a vida das pessoas, além de ser a porta de entrada para outras doenças ainda mais graves, como a diabetes e a hipertensão.

Há uma discussão no ramo das ciências sobre o possível efeito benéfico do vinho tinto na saúde das pessoas. O que muitos dizem é que ele tomado em doses pequenas, ajuda a proteger a pessoa de possíveis ataques cardíacos, assim como aumentar o HDL, o colesterol bom, e diminuir o LDL, que é o colesterol ruim.

 

 

Discutindo as diferentes formas de saúde

A nossa saúde depende de vários fatores, quando pensamos em nisso, a primeira coisa que vem em nossas mentes é a prática de exercícios físicos, alimentação equilibrada, bons hábitos (não consumir álcool, drogas e cigarros). Mas a nossa saúde mental, emocional e psicológica? Essas instâncias são tão importantes quanto os aspectos físicos, pois sem um equilíbrio mental e emocional, a saúde física também não será alcançada.

É importante pensarmos que o corpo está totalmente interligado, a mente e todos os demais órgãos estão em constante comunicação e por isso todo reflexo psicológico incide em nós. E o aparecimento de doenças somáticas (aquelas doenças que são de origem emocional e apresentam sintomas físicos, muitas delas de pele, como alergias e também doenças respiratórias).

É importante perceber que o estresse, a tristeza, as angústias irão repercutir em nosso corpo e sem tratamento, cuidado ou atenção, as doenças podem evoluir e até instalar uma patologia mais grave, como depressão, síndrome do pânico e tantas outras possíveis. Se valendo disto, o cuidado com a saúde mental deve ser encarado da mesma forma como qualquer outra questão de saúde. Desenvolver hábitos que agregam bem-estar irá prevenir o aparecimento de patologias. É importante estar em dia com seus sentimentos e emoções, tentar ao máximo refletir, dialogar e expor seus pensamentos. Guardá-los irá trazer aquela sensação de nó na garganta e ser franco consigo mesmo e com os outros evita os maus pensamentos e alivia nosso coração, nos traz paz. Também é imprescindível conhecer e respeitar seus limites, avaliar o que pode ou não fazer dentro de um trabalho, relacionamento afetivo ou com seus pais ou amigos. Se aproximar de relações que favoreçam a sua autoestima, que contribuam para o crescimento pessoal e profissional. E acima de tudo, buscar os caminhos para realização individual! E o que seria isso na prática? São nossos desejos e necessidades que nos aproximam da nossa essência, daquilo que desenvolvemos e nos sentimos realizados ao final do dia. É o sorvete que gostaríamos de experimentar, é o curso de administração ou de pedágio que sempre quisemos fazer, é a vontade de morarmos no Rio de Janeiro.

Tudo aquilo que afastamos pelas imposições e impedimentos da vida, dos nossos pais ou de nós mesmos. Cada pequena atitude que nos afasta de quem realmente somos, alimenta as tristezas e incertezas em nossas vidas e contribui para que diminua nossa saúde emocional.

Por fim, saiba identificar situações que fogem do seu controle, não é problema algum e nem vergonha, pedir ajuda e buscar profissionais qualificados para isso. Médicos, psicólogos e demais profissionais da área da saúde. Mantenha uma boa rede de amigos e de pessoas em que possa confiar.

 

 

Festividades, consciência e saúde: Combinação perfeita

Em época de Carnaval, é comum muita gente deixar a folia falar mais alto que os cuidados com a saúde. Decerto que a alegria é contagiante, contudo, se descuidarmos de nosso bem-estar, poderemos pagar um preço bem alto.

Apesar de ser uma época para extravasar alegria, existem várias circunstâncias que podem nos trazer muitos problemas. É importante estar atento e sair para a folia prevenido e consciente. Para tal, é bom considerar três situações bastante comuns neste período festivo:

EXPOSIÇÃO AO SOL

Durante as festas diurnas, expomos nosso corpo à altas temperaturas, a um calor muito grande e é comum a ocorrência de desidratação e insolação.

No que tange a desidratação, é importante que se beba muito líquido, bebida isotônica e faça a ingestão de frutas e sucos.

Já nos casos de insolação, a exposição ao calor provoca um aquecimento na temperatura do organismo e pode nos conduzir, inclusive a desmaios. É uma situação que requer cuidados médicos rapidamente. Em ambos os casos, o uso de roupas leves, protetor solar, ingestão de líquidos, evitar bebidas alcoólicas e excesso de exposição ao calor são de suma importância.

BEIJOS

Além de bastante prazeroso e muito comum durante esta época de festas carnavalescas, o beijo – aparentemente inocente – pode causar doenças sim! Entre elas, este simples contato com a saliva alheia pode provocar, por exemplo, herpes labial, gerando feridas na boca durante pelo menos uma semana.

Ainda associada aos beijos distribuídos aleatoriamente durante as festas, encontramos a doença do beijo(mononucleose), capaz de causar ínguas, dor no corpo, febre e dor de garganta.

SEXO

Também muito comum durante o Carnaval, o sexo está presente na festa de muitas pessoas. Embora haja campanhas de conscientização, e noticiários mostrando casos de DSTs( Doenças Sexualmente Transmissíveis), algumas pessoas fazem sexo de maneira casual, sem compromisso, não cuidando – até mesmo- de usar preservativos. Como consequência, muitas delas terminam o Carnaval contraindo alguma doença. Entre elas, HPV, AIDS, GONORRÉIA, SÍFILIS, HEPATITES B ou C.

Recentemente o Ministério da Saúde, anunciou que o número de jovens brasileiros acometidos pela AIDS, cresceu bastante. Apesar do alerta servir para qualquer época do ano, vale ressaltar que a mistura da energia entre os hormônios da juventude, sexo e álcool (também presente nas festas), não é uma combinação a ser considerada durante nenhuma festividade.

Portanto, se a ideia do Carnaval é esbanjar alegria, que seja esbanjando consciência, respeito, cuidado com a saúde e bem-estar. Afinal de contas, outros tantos carnavais aguardam por nós futuramente!

Saúde blindada: 7 alimentos aliados da imunidade

Em meio a uma rotina atribulada e agenda cheia, aquele resfriado que chega de surpresa é a última coisa de que precisamos. No entanto, para manter os problemas de saúde afastados, é necessário dedicar uma atenção especial a ele, o sistema imunológico.

Através da produção de anticorpos, esta rede de órgãos, tecidos e células combate possíveis substâncias estranhas ao corpo, como vírus e bactérias. Se este sistema estiver fragilizado, os intrusos vencem a batalha, resultando em infecções, gripes, resfriados, herpes e unhas e cabelos enfraquecidos, por exemplo.

Além de boas noites de sono e uma rotina regular de exercícios, os cuidados com o sistema imunológico também passam por uma alimentação rica em vitaminas, antioxidantes e minerais. Por isso, confira abaixo 5 dos principais alimentos que fortalecem seu escudo contra as doenças.

alho

Alho

Sendo um dos temperos mais utilizados na cozinha brasileira, o alho traz, junto com seu sabor, muita saúde. Por conter alicina, substância que protege contra infecções e bactérias, é um alimento que não pode faltar na dieta de quem quer manter a imunidade nas alturas.

 

 

Pimenta

Também no time dos temperos funcionais está a pimenta. Ela beneficia o sistema imunológico por conter vitamina A, capaz de combater infecções.

pimenta

Frutas cítricas

A vitamina C é uma das mais conhecidas quando o assunto é imunidade. Isso porque seus efeitos antioxidantes protegem as células do corpo, deixando o organismo mais forte para combater invasores.

 

frutas

Gengibre

E por falar em vitamina C, outro poderoso alimento que contém esta substância é o gengibre. Além disso, esta raiz contém gingerol, antioxidante e anti-inflamatório que reforça a imunidade do corpo e enche sucos e chás de sabor.

gengibre

 

 

Salmão

salmao

Os fãs da gastronomia japonesa têm mais um motivo para saborear o salmão. Rico em ômega-3, este alimento ajuda a combater as inflamações no organismo.

 

Iogurte

Excelente opção de café da manhã ou lanche da tarde, o iogurte é um alimento rico em probióticos. Estas “bactérias do bem” mantêm o intestino livre de bactérias nocivas à saúde, colocando o iogurte da lista dos defensores da imunidade.

iogurte

 

Cogumelos

O selênio presente nos cogumelos combate os radicais livres, reforçando o sistema imunológico e potencializando a cicatrização. Saúde acompanhada de muito sabor!

cogumelos

Não há razão para esperar as doenças baterem à porta para agir, certo? Pratos coloridos e completos não apenas combatem os dias de cama, como também são benéficos para todo o organismo, além de serem deliciosos.

 

 

 

Agência Heads, de Claudio Loureiro, desenvolve campanha para a marca Trousseau

Para a campanha publicitária e o catálogo de verão da Trousseau, que é uma marca luxuosa do meio de cama, mesa e banho, criada por Adriana e Romeu Trussardi Neto na cidade de São Paulo em 1991, a agência Heads, de Claudio Loureiro, criou o tema “My Life Unplugged”, que em tradução para o português seria algo como “Minha Vida Desconectada”.

A marca Trousseau, que é reconhecida por ser detalhista e prezar pela qualidade de sua matéria-prima, além de possuir uma ligação direta com a moda e os seus consumidores, possui em seu portfólio uma linha de acessórios finos que é composta por mantas, almofadas, jogos de cama, além de ter criado recentemente produtos específicos contendo aromas, housewear, homewear e peças para presentes.

Uma das propostas da marca atualmente é permitir que os seus consumidores consigam se desconectar da vida agitada e turbulenta muito comum em nosso dia a dia, para que assim possam se reconectar com o seu eu interior através do uso dos produtos da marca, que por serem de alta qualidade, proporcionam uma aconchegante sensação de conforto e bem estar.

As fotos feitas pela campanha foram produzidas pelo profissional Rômulo Fialdini e tiradas no belo Hotel Kenoa, na cidade de Barra de São Miguel, em Alagoas. O resultado obtido estará presente em anúncios de jornais e revistas, além de ser colocado em mobiliário urbano e shoppings.

A Heads Propaganda, do publicitário Claudio Loureiro é atualmente uma das principais agências de publicidade e propagando do país, de acordo com o IBOPE-Monitor. Segundo o levantamento anual feito pela consultoria Delloite, a agência, que possui o seu capital 100% de origem nacional, foi eleita, pelo segundo ano seguido, como a empresa desse setor que mais cresce no Brasil.

O fundador da Heads, Claudio Loureiro, nasceu em Curitiba e criou a agência há quase trinta anos na cidade. Em 2011, a empresa foi considerada pelo Instituto Great Place to Work como uma das agências de comunicação mais prazeirosas de se trabalhar no país, fato esse que se repetiu pelos próximos cinco anos. Atualmente, o publicitário passa a maior parte do seu tempo na filial do Rio de Janeiro, enquanto a sua família, que são sua esposa e dois filhos, continua, vivendo na capital paranaense.

Considerado por ser inovador e criativo, o criador da Heads, Claudio Loureiro, tem o histórico de realizar campanhas muito inteligentes e bem-humoradas para diferentes tipos de marcas. Em 2016, a agência conseguiu fechar parcerias com marcas de grande importâncja como Vaio, O Boticário, Farmácias Nissei, Decathlon Brasil, Cantareira Norte Shopping, Canal Viva e Trousseau, além de já ter desenvolvido trabalhos com empresas como Petrobrás, Volvo, Caixa Econômica Federal, Claro e muitas outras.

Além disso, o publicitário Claudio Loureiro, da Heads, faz parte da filial brasileira da Young Presidents’ Organization (YPO), uma rede internacional composta por vários diretores executivos e líderes de grandes empresas. Para completar, o publicitário é conhecido ainda por ter trabalhado como produtor associado no filme “Rio, I Love You” e no musical da Broadway “A Night with Janis Joplin”.