Menu

vivendodebemcomavida.com.br

A saúde do homem integral

“Que seu remédio seja seu alimento, e que seu alimento seja seu remédio” Hipócrates

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define saúde como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afeções e enfermidades”. Esse conceito expressa a tendência atual da ciência médica em enxergar o paciente de forma integral, compreendida a interdependência de todos os aspectos da sua vida. Pois, para ilustrar essa interdependência, uma enfermidade física pode resultar em doença mental, assim como um distúrbio psicológico é capaz de ocasionar uma mazela no corpo.

A revista Mente Cérebro publicou em sua página na UOLartigo intitulado “Pancadas na cabeça podem causar doença mental”. A publicação relata que pesquisadores de uma universidade em Copenhague estudaram registros médicos dinamarqueses e associaram traumas na cabeça sofridos entre os 11 e 15 anos de idade ao desenvolvimento posterior de doenças mentais como depressão, transtorno bipolar e até esquizofrenia. No livro A Dieta da Mente, o Dr. David Perlmutter diz que pesquisadores começam a chamar o Alzheimer de diabetes tipo 3, devido às recentes descobertas da forte relação dessa doença – e de outras demências – à produção de insulina e ao consumo de açúcar.

Esses são exemplos de como fatores somáticos podem desencadear doenças mentais. Pode-se ainda citar a depressão provocada por um eventual desequilíbrio químico do organismo ou a predisposição genética a adquirir outras enfermidades como o transtorno bipolar ou a esquizofrenia.

Do mesmo modo, estados nervosos podem ter consequências físicas, e até o âmbito social pode, a longo prazo, deixar um indivíduo fisicamente doente. Por exemplo, a ansiedade afeta o sistema imunológico e a digestão, bem como um ambiente estressante pode fazer com que o corpo produza o hormônio cortizol em excesso, o que leva o fígado, por sua vez, a produzir glicose. Para a maioria das pessoas, a glicose resultante dessa relação é facilmente absorvida pelo organismo, mas, se o indivíduo em questão for diabético, a história é outra.

Por isso, como aponta a definição de saúde dada pela OMS, a tendência da medicina hoje é cuidar de todos os aspectos da vida do paciente, principalmente nos países em desenvolvimento, nos quais as condições de trabalho, a saúde pública e, de modo geral, a qualidade de vida oferecida aos nacionais são insatisfatórias. Há um aumento da preocupação dos profissionais de saúde pelo modo de vida dos seus pacientes. Se alimentam-se bem, se exercitam-se, se são submetidos a altos níveis de estresse, entre outros.

A medicina tem cada vez mais tornado-se preventiva, e o paciente tem sido visto holísticamente. As palavras de Hipócrates, o pai da medicina, aquele cujo juramento os médicos formandos repetem, estão cada vez mais em voga. Alimentando-se, exercitando-se, estando em paz com seus pares e vivendo em simbiose com o seu meio, o indivíduo está fazendo a manutenção da sua saúde, evitando assim ter de tratar doenças.